Avançar para o conteúdo

O Caipirinha, Figueira da Foz

    O restaurante Caipirinha, localizado no Bairro Novo na Figueira da Foz, esteve em destaque no programa da TVI “Pesadelo na Cozinha”, conduzido por Ljubomir Stanisic, e nós quisemos ver as mudanças com os nossos próprios olhos.

    Eu já tinha visitado o restaurante, em contexto de jantar de grupo, e não fiquei fã, por isso agora, depois de ter visto o programa quis dar uma segunda oportunidade e testar as novas iguarias.

    A companhia estava perfeita, a conversa agradável e, sinceramente, nem me lembrei de  tirar fotografias.
    Ligámos às 19h30 para reservar mesa para 5 e já só havia mesa disponível para as 21h15 – prenúncio de sala cheia.

    E assim se veio a verificar à chegada, havia um jantar de grupo na sala e apenas uma ou duas mesas livres.

    Durante as gravações, Stanisic disse que aquele era um dos espaços de restauração mais feios que já tinha visto, criticando a decoração antiga (exagero, digo eu).
    Embora a nova decoração tenha dado ao espaço um ar mais clean, as paredes e o teto azuis oferecem ao espaço um ambiente muito escuro. As mesas mantêm os caminhos de mesa sugeridos mas com toalhas de papel por cima, o que retira alguma da elegância da nova decoração.

    Mas foi na hora de escolher os pratos que começaram os problemas. A carta foi novamente amplificada, ultrapassando largamente a página sugerida pelo Chef.

    A Chris advertiu-nos logo, com o seu jeito simpático, que não deveríamos escolher alguns pratos, como a massada de peixe, porque não tinham capacidade para a sua confecção e iria demorar muito tempo. Hmm … velhos problemas!

    Além disso, sentimos falta na ementa de alguns pratos sugeridos pelo Chef e que nos tinham suscitado bastante curiosidade como a canja de bacalhau, moqueca, os pasteis ou o bolo de chocolate com brigadeiro e morangos. Mantêm apenas os pratos antigos como a famosa frigideira, a picanha, as pizzas, entre outros.

    Éramos 5 pessoas e pedimos 3 doses de frigideira de carne, um prego no prato e uma picanha. Demoraram cerca de 40 minutos a chegar! Valeu-nos a maravilhosa açorda de queijo de entrada – um género de calzone recheado com queijo, maionese e bacon, mesmo delicioso!

    Todos os pratos estavam saborosos, no ponto e acompanhados por batatas fritas caseiras.

    A frigideira para 3 foi mal servida. Trouxeram apenas uma frigideira maior, as batatas e uma pequena porção de arroz que nos deixou a perder.
    Não pudemos pedir sangria de 1L porque não havia jarras suficientes. (ups)

    Quando chegámos às sobremesas, perguntámos pela especialidade da casa, e que até Stanisic adorou, o quindim, e a resposta foi “hoje não há”. Recebemos a noticia com estranheza, já que o sábado é provavelmente um dos dias mais concorridos da casa.

    Durante a experiência no Caipirinha, fomos atendidos por um funcionário e pela querida Chris que se mantém com o mesmo brilho nos olhos, simpatia e inocência a que nos habituou no programa.

    Vimos o Sr. João e a D. Rosalina na cozinha e nunca sairam no período em que lá estivemos a jantar.

    Na minha opinião, a nível de decoração o espaço ficou a perder com a intervenção do programa da SIC e nas restantes vertentes em que poderia ter beneficiado, não conseguimos ver as mudanças sugeridas pelo programa. As dificuldades na organização, logística e falta de pessoal permanecem.
    O restaurante ganha na simpatia e nos pratos muito saborosos com destaque para a açorda de queijo como entrada e a frigideira de carne. Pagámos cerca de 17,5€ por pessoa, o que achámos excessivo tendo em conta que não nos excedemos nas bebidas e não escolhemos sobremesa.
    Recomendo a experiência, no entanto, penso que não será uma das primeiras opções numa próxima oportunidade.

     

    Fonte: NIT

     

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *